sábado, 3 de maio de 2008


A tartaruga-verde ou aruanã (Chelonia mydas) é uma tartaruga marinha da família Cheloniidae e o único membro do género Chelonia. A espécie está distribuída por todos os oceanos, nas zonas de águas tropicais e subtropicais. O nome tartaruga-verde deve-se à coloração esverdeada da sua gordura corporal.
As tartarugas-verdes crescem, em média, até 120 cm de comprimento curvilíneo de carapaça e pesam 160 kg em média, podendo atingir até 300 kg. É uma espécie inteiramente marinha, sem contactos com terra, a não ser as fêmeas que põem os ovos em praias.
A espécie encontra-se ainda ameaçada após um longo período de caça intensa devido à sua carne, usada para fazer sopa, couro e casca.
A tartaruga-verde habitualmente se encontra em águas costeiras com muita vegetação (áreas de forrageio), ilhas ou baías onde estão protegidas, sendo raramente avistadas em alto-mar.

Tartaruga-verde - Havai
Sua cabeça é pequena com um único par de escamas pré-orbitais e uma mandíbula serrilhada que facilita a alimentação.
Sua alimentação varia consideravelmente durante o ciclo de vida: até atingirem 30 cm de comprimento, alimentam-se essencialmente de crustáceos, insetos aquáticos, ervas marinhas e algas; acima de 30 cm, comem principalmente algas; é a única tartaruga marinha que é estritamente herbívora em sua fase adulta
Estimativa mundial da população: 203.000 fêmeas em idade reprodutiva.

[editar] Referências

1 comentário:

Martinha disse...

Com estas informações, fiquei a saber mais sobre a tartaruga...

Beijinhos

Marta